Você sabia que 74% dos profissionais consideram o plano saúde como o benefício mais importante? Pois bem, em tempos de crise sanitária podemos entender tamanho valor. Do outro lado, temos os gestores, que investem 15% da folha de pagamento para custeio de planos de saúde.

              Eu não me atreveria a dizer que empresa alguma deveria gastar menos em saúde, afinal, um colaborador saudável e com qualidade de vida tem muito mais disposição, melhor desempenho e produtividade. Apesar disso, garanto que há meios de reduzir esse custo dando mais atenção à saúde do colaborador.

              Isso pode ser feito através da integração de dados confiáveis e da leitura correta desses dados, incluindo manejo dos dados padronizados de saúde, clusterização das variáveis a serem estudadas (com fornecedores, prestadores, usuários, procedimentos e dados clínicos) e machine learning como mecanismo de predição analítica para tomada de decisão estratégica precoce. Assim, a contribuição está em reduzir desperdícios e melhorar a qualidade e a produtividade do cuidado com saúde dos beneficiários, sempre de forma sustentável.

              Isso resolve três grandes problemas: o alto custo do benefício de saúde, os processos manuais de gestão de saúde (relatórios no Excel) e a dispersão de dados de saúde (planos de saúde, exames, atestados, PBM, consultas).

              Imagine conseguir integrar dados confiáveis como folha de pagamento, histórico hospitalar, hábitos de saúde, medicamentos em uso, academia, consultas e exames, plano de saúde e atestados. Com isso, é possível identificar se algum colaborador está usando o plano de forma errada, entender como a empresa pode agir para melhorar a saúde dos colaboradores e, assim, gerar melhores resultados.

              No mercado da saúde suplementar, existem algumas poucas empresas com tecnologia capaz de oferecer o HEALTH ANALYTICS.

              Algumas empresas se perguntam, qual a diferença entre um corretor de seguros e um consultor de benefício? Na essência nenhuma porque todo o consultor é um corretor de seguros. Porém na prática, o diferencial competitivo está na especialização e na atitude de entender as necessidades das empresas e proporem soluções reais.  E o Health Analytics é uma forma clara que demonstra muito bem esse diferencial.

 

*Jorge Abel Peres Brazil

Diretor e Head de Inteligência de Negócios na empresa Brisk Consultoria e Corretagem de Seguros, Diretor da ANSP e Membro da Cátedra de Saúde.

 

Esta publicação online se destina a divulgação de textos e artigos de Acadêmicos que buscam o aperfeiçoamento institucional do seguro. Os artigos expressam exclusivamente a opinião do Acadêmico.

Expediente – Diretor de Comunicações: Rafael Ribeiro do Valle | Conselho Editorial: João Marcelo dos Santos (Coordenador) | Dilmo Bantim Moreira | Felippe M Paes Barretto | Homero Stabeline Minhoto | Produção: Oficina do Texto |Jornalista  responsável: Paulo Alexandre | Endereço: Avenida Paulista, 1294 – 4º andar – Conjunto 4B – Edifício Eluma – Bela Vista – São Paulo – SP – CEP 01310-915| Contatos: (11)3335-5665  | secretaria@anspnet.org.br  | www.anspnet.org.br |