Quando se imaginava que todas as tempestades possíveis de afetar o bom andamento dos negócios do mundo corporativo ficaram no passado, chega o Coronavírus. Estamos vivendo um momento duro na história da humanidade, com fatores de grande impacto nas pessoas, na sociedade e na economia.

O clima de calamidade extrema está afetando as pessoas e empresas no país. Neste cenário de 2020, fica é a forte consciência dos empresários que é necessário adotar nova postura perante uma pressão cada vez mais impositiva por respostas que atendam as atuais demandas.

A resposta está na resiliência.

Como definição, é a capacidade do individuo de lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir a pressão de situações adversas, sem entrar em surto psicológico. Exercitar características como: autoconhecimento, confiança, proatividade, perspectiva e flexibilidade mental.

Não se pode esperar a onda do contágio cessar para só então pensar na volta da rotina.

Fundamental se antecipar para esse novo mundo pós crise, e para isto teremos que aproveitar as oportunidades na adversidade, para tanto é preciso considerar várias forças moldadoras: novos aprendizados, novas atitudes, novos hábitos e novas necessidades. Estes serão caminhos que permitirão as organizações evoluir suas estratégias e, assim, sustentar sua prosperidade.

O desafio das empresas é capacitar-se para proteger seu core-business. Adaptar-se rapidamente ao novo ambiente de negócios em mudança. Portanto, a disrupção tecnológica se apresenta mais como uma oportunidade do que uma ameaça.

Pequenas vitórias no início, como redução de custos ou receitas incrementais fornecem provas as pessoas da organização de que lutar vale a pena. As empresas terão que pensar estratégias não apenas nas questões de custo e receita, irão ao que chamo de resiliência de marca- fortalecendo a lealdade dos clientes, gerando confiança das empresas. O individuo (empresário ou executivo) resiliente é flexível, pensa em opções, age, e, se a ação não é efetiva, escolhe outro caminho e persiste.

 Enfim, a resiliência é a determinação para se recuperar rapidamente e estar pronto para o que chamamos de retorno a normalidade. Empresários ou executivos precisam a partir de agora, ser resilientes, transformar suas empresas em “empresas fortes de caráter”, pois dessa forma, terão a preferência dos clientes.

 

*Jorge Abel Peres Brazil

Diretor e Head de Inteligência de Negócios na empresa Brisk Consultoria e Corretagem de Seguros, Diretor da ANSP e Membro da Cátedra de Saúde.

 

Esta publicação online se destina a divulgação de textos e artigos de Acadêmicos que buscam o aperfeiçoamento institucional do seguro. Os artigos expressam exclusivamente a opinião do Acadêmico.

Expediente – Diretor de Comunicações: Rafael Ribeiro do Valle | Conselho Editorial: João Marcelo dos Santos (Coordenador) | Dilmo Bantim Moreira | Felippe M Paes Barretto | Homero Stabeline Minhoto | Osmar Bertacini | Produção: Oficina do Texto |Jornalista  responsável: Paulo Alexandre | Endereço: Avenida Paulista, 1294 – 4º andar – Conjunto 4B – Edifício Eluma – Bela Vista – São Paulo – SP – CEP 01310-915| Contatos: (11)3335-5665  | secretaria@anspnet.org.br  | www.anspnet.org.br |