A razão de existir dos benefícios é a de auxiliar o bem-estar dos trabalhadores e suas famílias. O conceito de benefícios no mercado de trabalho refere-se ao sistema de proteção social que, por meio da instituição do Seguro, auxilia o sustento do trabalhador e de sua família quando ele não pode trabalhar, de forma temporária ou permanente, por causa de doença, acidente, gravidez, prisão, morte ou velhice.

O Estado, por meio da Previdência Social, mantém treze benefícios diferentes, incluindo aposentadorias, pensão por morte, salário-maternidade e auxílio-doença, devendo o trabalhador para se beneficiar desta proteção, estar inscrito na Previdência Social e contribuir mensalmente para fazer jus à este sistema.

Apesar da existência dessa rede de proteção social obrigatória, incluindo dissídios coletivos, a competição do mercado de trabalho entre as empresas faz com que estas procurem atrair e manter empregados produtivos através do incremento dos benefícios, utilizando para tanto os instrumentos oferecidos pelo mercado privado de seguros.

Para as pessoas usuárias deste conjunto de vantagens adicionais proporcionadas pelo seguro, preocupações rotineiras como o pagamento de saúde, escola, moradia, água, luz, televisão por assinatura, telefone e tantas outras contas, podem ser administradas com menor impacto no caso de dificuldades com a redução da capacidade financeira habitual dos responsáveis por arcar com tais obrigações.

Obviamente vantajosos para os trabalhadores, seja por meio do oferecimento de vantagens tributárias, seja criando um melhor ambiente para trabalhar e possibilitando uma vida mais tranquila ou minimizando as carências de serviços públicos como saúde e aposentadoria, tais vantagens disponibilizadas pelas empresas também atuam positivamente para os empregadores, como por exemplo, auxiliando a redução do absenteísmo, minimizando o custo das horas trabalhadas por meio da conversão de pagamentos diretos em salários indiretos e também auxiliando na melhora do desempenho dos colaboradores de suas organizações.

Contudo, organizar e manter uma rede eficiente de proteção, enquanto empregado ou trabalhador liberal, exige planejamento, disciplina e conhecimento das opções disponíveis no mercado segurador, integrando esse investimento em tranquilidade ao orçamento financeiro e estruturando assim princípios básicos de educação financeira de forma gradual, integrando ao cotidiano temas normalmente evitados como economia, tributos, previdência e finanças pessoais. A realidade de cada pessoa ou empresa em termos de proteção securitária é normalmente um caso à parte, sendo importante entender as necessidades efetivas, sejam estas laborais, individuais ou familiares, bem como o custo inerente ao atendimento destas, assim, o auxílio de um profissional no assunto é sempre importante.

Uma das formas de se implementar essa proteção é o Seguro de Pessoas, sendo os tipos mais conhecidos o de Vida e o de Acidentes, que por meio dos pagamentos de capitais segurados por suas várias coberturas, permitem às pessoas manterem sua condição de dignidade em função de uma invalidez e/ou da perda de um membro da família.

Em termos de seguro de Pessoas, há ainda produtos voltados à atividades profissionais específicas, como por exemplo para motofretistas (motoboys), mototaxistas, médicos e engenheiros. Mesmo situações com aceitação restrita como indivíduos diabéticos, pilotos de avião e incluídos na terceira idade podem usufruir da proteção de apólices especialmente desenvolvidas para tanto.

Ainda que não aplicado necessariamente ao mercado de trabalho, empresas varejistas e ligadas ao mercado financeiro também utilizam o seguro Prestamista como instrumento para beneficiar adquirentes de bens e financiamentos no sentido da liquidação de dívidas e/ou no pagamento de parcelas destas, no caso de morte, invalidez, desemprego involuntário e perda de renda.

No segmento da Previdência Complementar, mais conhecidos pelos planos do tipo PGBL e VGBL, ocorre a contribuição significativa para o reforço das necessidades no período de aposentadoria dos profissionais ou mesmo para o apoio de forma planejada ao futuro de filhos para auxiliar no custeio de estudos ou, ainda, para iniciar um empreendimento pessoal.

A atividade da Capitalização com seus diversos tipos de títulos, comercializada de forma conjunta ou separada de seguros, também engorda o leque de vantagens da securitização de benefícios, tanto pela capacidade de oferecer sorteios como pela variedade de aplicações práticas, por exemplo, substituindo a figura do fiador no aluguel de imóveis.

Não menos importantes e inseridos praticamente em todos os planos de benefícios das empresas, os seguros de Saúde e Odontológico auxiliam no bem-estar dos trabalhadores e não raro de toda a família, figurando muitas vezes como grande diferencial na lista de vantagens de uma posição profissional.

Complementando a proteção dos seguros existem também os Serviços Assistenciais, não pretendendo aqui esgotar suas opções, abrangem aqueles orientados a funerais, entrega de cestas básicas, programas de descontos para a compra de medicamentos, obtenção de segunda opinião médica, assistência para pequenos reparos em residências e até para auxílio a estudantes.

Além do positivo efeito para as empresas de seguros, os produtos de Capitalização, Previdência, Saúde e Pessoas geram resultados às empresas pela oportunidade de agregar valor aos empregos e diminuir custos com captação e manutenção de colaboradores; aos empregados mais vantagens e bem-estar e ao Estado a possibilidade de redução de despesas com apoio social e complemento de renda aos cidadãos.


Dilmo Bantim Moreira

É Presidente do CVG/SP, diretor da cátedra de Seguros de Pessoas da ANSP, atuário, membro da Comissão Técnica de Produtos de Risco da FenaPrevi, instrutor em seguros de Riscos Pessoais e colunista em mídias securitárias.


Esta publicação online se destina a divulgação de textos e artigos de Acadêmicos que buscam o aperfeiçoamento institucional do seguro. Os artigos expressam exclusivamente a opinião do Acadêmico.

Expediente – Diretor de Comunicações: Rafael Ribeiro do Valle | Conselho Editorial: João Marcelo dos Santos (Coordenador) | Dilmo Bantim Moreira | Felippe M Paes Barretto | Homero Stabeline Minhoto | Osmar Bertacini | Produção: Oficina do Texto |Jornalista responsável: Paulo Alexandre | Endereço: Avenida Paulista, 1294 – 4º andar – Conjunto 4B – Edifício Eluma – Bela Vista – São Paulo – SP – CEP 01310-915| Contatos: (11)3333-4067 ou 3661-4164| secretaria@anspnet.org.br | www.anspnet.org.br |